Opinião: Trazer uma Ariel negra é acerto imenso da Disney

O anúncio de Halle Bailey como a sereia causou um alvoroço na internet

04/07/2019 12h24

Por Thamires Viana

A Disney anunciou na última quarta-feira (03) que a jovem Halle Bailey irá desempenhar o papel de Ariel no live-action de A Pequena Sereia. Em minutos, a internet foi à loucura por um detalhe: a atriz e cantora de 19 anos é negra, diferente daquela sereia branca, ruiva e de olhos azuis que conhecemos da animação lançada em 1989.

No Twitter, a discussão sobre o tom de pele de Bailey causou um alvoroço entre aqueles que criticaram a escolha, e os que tentavam entender em como isso poderia alterar a história da sereia que sonha em ser humana. Eu, como mulher negra, permanecia ao lado daqueles que comemoravam a notícia, afinal, nascida no início dos anos 90 nunca pude me ver representada por uma princesa da Disney!

A atriz Halle Bailey será Ariel

A história que conhecemos pelas mãos do estúdio nada se aproxima daquela original criada pelo dinamarquês Hans Christian Andersen em 1837, e eu vou te contar os motivos.

No conto original, Ariel não tem nome, é apenas chamada de sereia. De forma cruel, o autor relata em detalhes como a Bruxa do Mar - que no filme conhecemos como a maldosa e divertida Úrsula - corta a língua da jovem para que ela perca a voz. Além disso, suas pernas não são dadas com um passe de mágica, não, lá a sereia tem a cauda rasgada em duas e sangra a cada passo. A Bruxa exige que Ariel faça o príncipe se apaixonar por ela, ou ficará para sempre sem voz. A versão original fica ainda mais cruel quando o amado se casa com outra moça, deixando para a jovem um final trágico de morrer pulando de um penhasco.

Obviamente, assim como em quase todas as outras animações, a Disney muda completamente sua abordagem na hora de contar essas histórias. Nenhum pai ou mãe levaria seus filhos aos cinemas para ver uma coisa macabra como essa, não é? Portanto, vamos aos fatos: se no conto original Ariel não tinha nome, não era descrita como branca, negra, mestiça, azul ou a cor que fosse, isso de alguma forma alterou a forma com a qual assistimos a animação nas telas? Então por que trazer uma sereia negra no live-action afetaria de alguma forma a abordagem dos fatos?

Halle Bailey é uma atriz e cantora excelente e a escolha para o papel não veio à toa. Junto com a irmã gêmea, ela mantém um grupo musical chamado Chloe x Halle e arrasa na atuação na série Grown-Ish. Trazer a jovem para a história de Ariel é um acerto imenso do estúdio que só passou a inserir personagens negros como protagonistas no final dos anos 2000! 

A primeira personagem do estúdio que recebeu o título, vestido e um príncipe encantado sendo negra só veio em 2009 com a chegada de A Princesa E O Sapo! Seu vestido verde e uma coroa enfeitando seu coque crespo passou a ser sinônimo de alegria para as meninas negras que enfim poderiam se olhar nas telas do cinema e se reconhecerem. Anos depois, em 2016, veio Moana, outro filme cheio de representatividade que se tornou um fenômeno do estúdio.

A Princesa e o Sapo e Moana (Montagem)

Além delas, a Disney tem planos para trazer às telas a história de Sadé, uma princesa africana com poderes que será a primeira personagem feminina de origem africana em um filme do estúdio. O mesmo posso dizer de Pantera Negra, primeiro herói de origem africana trazido pela Marvel. O longa se tornou um dos maiores sucessos de bilheteria e traz uma linda homenagem à cultura do continente. O estúdio norte-americano se empenhou em detalhar cenários, figurinos e até sotaque dos personagens. 

Para os negros, é uma experiência magnífica se "reconhecer" nas telas. Ir aos cinemas e ver que as crianças negras dessa década verão alguém parecido com elas estampando cartazes e sendo chamado de super-herói ou de princesa. É questão de representatividade em tela!

Sereias não são reais, portanto a forma como a personagem será retratada em um filme não impacta em nada o rumo da história. Mas, para quem ainda insiste em dizer que a Ariel precisa ser branca e ruiva, tenho uma notícia BOMBÁSTICA: essa versão dela já existe na animação de 1989!

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus