OSCAR 2014: Preguiça? Veja um resumo dos indicados a Melhor Filme

Descubra nossa opinião sobre os candidatos desse ano

25/02/2014 18h25

Na edição 2014 do Oscar, 9 filmes concorrem à estatueta principal da noite. Leia nossas críticas dos finalistas e fique atento: o vencedor será conhecido neste domingo, 2 de março:

Trapaça

 

Trapaça

Com personagens fortes, intensos e impulsivos, Trapaça é um filme muito interessante por não ser perfeito. Há algo de caótico em seu desenrolar e esta desordem choca-se frontalmente com o arranjo ordenado e impecável das atuações, direção de arte, trilha sonora e figurino. Na trama sobre uma dupla de trapaceiros que é obrigada a contribuir em uma investigação do FBI, o filme de David O. Russell reúne uma trupe de protagonistas que o enche de vida e torna assisti-lo uma experiência energética Tácoe prazerosa.

Leia mais

 

12 Anos de Escravidão

12 Anos De Escravidão

12 Anos de Escravidão é um filme plasticamente esmerado e bem levado tecnicamente, mas também simplório e maniqueísta em seu enredo. Na trama sobre um homem livre que é preso e transformado em escravo, Steve McQueen, no entanto, enfatiza além do razoável a via-crúcis de Northup e a vileza de seus algozes. O fazendeiro vivido por Michael Fassbender é quase uma caricatura, um psicopata doentio cujos atos são mal justificados. As técnicas anciãs de fisgar o público – identificação rápida e dicotomia rasa entre bem e mal - estão todas aqui.

Leia mais

 

Gravidade

Gravidade

O longa traz duas estrelas bem conhecidas em Hollywood: Sandra Bullock, no papel da doutora Ryan Stone (sim, é um nome masculino e o filme explica o motivo), e George Clooney, como o astronauta Matt Kowalsky. No jogo contínuo entre pequenez e grandeza, conhecido e desconhecido, Gravidade revela a tentativa de sobrevivência de dois astronautas perdidos no espaço. A questão dos personagens principais é de vida e morte, imensa. O 3D bem utilizado enfatiza a sensação de instabilidade, assim como bons takes e giros de câmera que causam até vertigem.

Leia mais

 

O Lobo De Wall Street

O Lobo De Wall Street

Sem fazer juízo de valor, Martin Scorsese revela o atrevido e inescrupuloso caminho do corretor da bolsa de valores de Nova York Jordan Belfort até a fortuna. A atriz Margot Robbie até tenta passar credibilidade como segunda esposa de Jordan, porém o papel não ajuda. De certa forma faz sentido para a trama, afinal a história de Scorsese é sobre homens cheios de testosterona, mas cansa ver as garotas limitadas a servir, agir como vítimas ou seduzir por interesse. Apesar das boas atuações, o cineasta exagera na objetificação.

Leia mais

 

Capitão Phillips

Capitão Phillips

Emocionalmente carregada, a visão cinematográfica do sequestro de Capitão Philips durante viagem pela costa da Somália é marcante. Além disso, o diretor perde a chance de se aprofundar nas motivações dos piratas ou no sofrimento do povo somali e foca demais no americanismo exacerbado – o que não é surpresa para um filme hollywoodiano. Apesar da força da história, o longa sofre com a sensação de Deja Vu, mas as sólidas atuações de Tom Hanks e seu antagonista Barkhad Abdi se destacam.

Leia mais

 

Philomena

Philomena

A trama de Stephen Frears narra a história verídica de uma mulher à procura de seu filho, de quem se separou décadas atrás, com a ajuda de um jornalista em busca de uma nova chance para sua carreira difamada por brigas políticas. A trilha sonora tenta dar ritmo, emocionar, empurrar o longa. Sempre útil imaginar um filme sem música com a capacidade de suscitar emoções. Ele se bancaria? Philomena, certamente, não. Com diálogos superficiais e atuações regulares, Philomena revela a trajetória de uma personagem vazia.

Leia mais

 

Clube De Compras Dallas

Clube De Compras Dallas

Apesar do orçamento relativamente baixo, Clube de Compras Dallas recria de forma convincente o período da epidemia de AIDS. Pesado, mas com momentos divertidos, o longa não facilita as coisas para o espectador, apenas confia na força de seus protagonistas e no apelo universal da história de Ron Woodroof, que nos lembra como os maiores desafios trazem à tona o melhor de cada um de nós. McConaughey não é o único que impressiona. Jared Leto é responsável por momentos de leveza e emoção no papel do transexual Rayon, também vítima da doença e sócio de Ron.

Leia mais

 

Ela

Ela

Ao aproximar a tecnologia dos sentimentos mais humanos possíveis, Ela deixa de lado julgamentos e evidencia os limites da realidade a partir da percepção de cada um. Num estilo retrô-futurista, o filme de Spike Jonze aborda todos os tipos de relacionamento através da história de Theodore: um sensível escritor de cartas de amor que se apaixona por um Sistema Operacional chamado Samantha. Num estilo retrô-futurista, indie-deprê, e sujeito a tantas outras denominações porque é pop até o osso, o novo longa de Spike Jonze se mostra uma das obras mais bonitas e sensíveis dos últimos tempos.

Leia mais

 

Nebraska

Nebraska

Road movie com belas cenas e revelações lentas e profundas sobre os personagens, Nebraska acompanha a trajetória do idoso Woody Grant, que acredita ter ganho um milhão de dólares em um bilhete premiado. Payne é capaz de alternar o tom cômico e triste, sempre com cuidado para não cair no sentimentalismo barato. Closes reforçam as reações dos atores e são alternados com ângulos abertos para mostrar a imensidão do meio-oeste. A fotografia em preto e branco pinta o retrato perfeito da vida simples no centro-oeste rural norte-americano e revela o tom melancólico da vida de seu protagonista, convincentemente interpretado por Bruce Dern.

Leia mais

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus