"A Academia não deveria ditar os termos da arte na sociedade moderna", diz Lupita Nyong'o

Jada Pinkett Smith e Spike Lee prometem boicotar cerimônia

20/01/2016 17h04

Por Iara Vasconcelos

A falta de diversidade entre os indicados ao Oscar 2016 está mexendo com Hollywood. Depois de Spike Lee anunciar que vai boicotar a premiação desse ano, foi a vez de Lupita Nyong'o - vencedora da estatueta de "Melhor Atriz Coadjuvante" por 12 Anos De Escravidão, em 2014 - manifestar sua insatisfação com a academia.

 + Veja a lista de indicados ao Oscar 2016

A atriz afirma que a pouca diversidade do Oscar é um reflexo do que acontece na indústria em geral, já que grandes estúdios oferecem poucos, e estereotipados, papéis relevantes a negros, latinos e outras minorias. Através de seu Instagram, ela compartilhou uma poderosa mensagem:

"Eu estou desapontada pela falta de inclusão entre os indicados desse ano pela academia. Isso me fez pensar sobre o preconceito inconsciente e quais meritos são prestigiados em nossa cultura. O Oscar não deveria ditar os termos da arte na sociedade moderna, mas sim ser um reflexo diverso do melhor que nossa arte tem a oferecer nos dias de hoje. Eu apoio meus colegas que clamam por uma mudança nas histórias que são contadas e pelo reconhecimento das pessoas que as contam", escreveu a estrela, em cartaz como Maz Kanata em Star Wars: O Despertar Da Força.

Falta de diversidade no Oscar

Em 88 anos de Oscar, apenas sete mulheres negras levaram uma estatueta por sua atuação

Jada Pinkett Smith, esposa de Will Smith, também soltou o verbo e sugeriu que os negros parem de assistir a cerimônia enquanto esse cenário não mudar.

+ Oscar está mais social, mas continua pouco diverso 

"No Oscar os negros são sempre bem-vindos para entregar prêmios e para fazer espetáculos, mas raramente se reconhecem seus méritos artísticos. Os negros deveriam se negar a assistir? As pessoas nos tratarão da forma que nós permitimos. Sinto uma profunda decepção", falou Jada.

Vale lembrar que Smith era um dos atores cotados para o Oscar, por sua atuação no drama Um Homem Entre Gigantes. Infelizmente, pelo segundo ano consecutivo, nenhum ator, atriz ou diretor negro estará na disputa pela famosa estatueta dourada. No ano passado, a hashtag #OscarsSoWhite (Oscar muito branco) bombou nas redes sociais como forma de protesto. Depois da divulgação dos concorrentes desse ano, a tag #OscarStillSoWhite (Oscar ainda muito branco) deve ser a próxima a ganhar força.

+ Veja nosso especial do Oscar 2016

Parece que o conservadorismo do Oscar vai servir, pelo menos, para abrir discussão sobre a mudança do status Quo dentro da indústria do entretenimento. Nesse momento, o apoio e posicionamento de atores e atrizes é peça chave para que essa mudança aconteça.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus