Oscar: Fundadora do #MeToo critica Ryan Seacrest na cobertura do red carpet

Apresentador foi acusado de assediar Suzie Hardy, figurinista do E!

04/03/2018 21h33

Por Thamires Viana

A fundadora do movimento #MeToo, Tarana Burke, falou em entrevista à Variety que Ryan Seacrest não deveria cobrir o tapete vermelho da 90ª edição do Oscar.

Ela pediu que o E!, canal que transmite o Red Carpet, deveria poupar os espectadores de vê-lo, já que o apresentador foi acusado de assédio por sua antiga figurinista. 

"Eles realmente não deveriam mandá-lo para cobrir e nós não deveríamos ter que fazer essas escolhas. Isso não é só sobre culpa ou inocência e sim sobre existir uma acusação contra ele no ar. Não colocá-lo nos mostraria o quanto eles respeitam as mulheres". 

Secreast foi acusado de assédio pela figurinista Suzie Hardy. Ela afirma que o apresentador tocou em sua vagina e esfregou o pênis nela. Ele nega as acusações. 

Absurdamente, a emissora se pronunciou afirmando que não há evidências suficientes para provar que ele cometeu os atos. 

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus