Oscar: Jimmy Kimmel abre cerimônia com discursos sobre casos de assédio

Teve também discursos empoderados de atrizes e atores durante a noite

05/03/2018 00h53 (Atualizado em 05/03/2018 02h37)

Por Thamires Viana

Claro que adoramos ver os convidados sorrindo e felizes no Oscar, mas também gostamos de ver assuntos sérios sendo tratados em um momento onde os olhares de todo o mundo estão voltados para a TV. 

O apresentador da 90ª edição do Oscar, Jimmy Kimmel, conduziu o tom da premiação abordando imediatamente o infame erro do anúncio de 2017 - que nomeou La La Land - Cantando As Estações ao invés de Moonlight - Sob A Luz Do Luar -, e assuntos sérios como assédio sexual e a diferença de salários entre homens e mulheres na indústria cinematográfica.

É uma tarefa muito difícil para Kimmel apresentar o Oscar este ano, principalmente após todos os casos de assédios, abusos e estupros que surgiram em Hollywood nos últimos meses. Vamos combinar que em 2017 o pior que aconteceu foi a troca de envelopes, né?

Em um momento da noite, algumas atrizes subiram ao palco - foi de arrepiar -  para dar discursos empoderados. Teve também um vídeo com o depoimento de alguns atores e atrizes, onde assuntos como representatividade negra e feminina nos cinemas foram tratados. Salma Hayek e Jordan Peele foram alguns dos nomes que deram voz na premiação. Veja o vídeo:

Claro que teve atores com os pins do Times Up, movimento criado para proporcionar apoio legal às vítimas de assédios, agressões e abusos em seu local de trabalho, mas o assunto foi abordado de maneira discreta e inteligente. Pelo menos, ao contrário da noite do Globo de Ouro, não fomos obrigados a ver abusadores e assediadores usando o acessório.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus