Pesquisa com 700 filmes reafirma desigualdade em Hollywood

Indústria ainda sofre com conservadorismo e falta de representatividade

06/08/2015 19h48

Por Iara Vasconcelos

O debate sobre a falta de diversidade em Hollywood tem tomado as manchetes faz tempo. Após o anúncio dos indicados ao Oscar 2015 mostrar um conservadorismo exagerado, deixando filmes com protagonistas femininas e temas de cunho racial de fora das principais categorias, uma pesquisa realizada com base em 700 filmes surge para reafirmar esse panorama.

+ OSCAR 2015: Conservadorismo exagerado torna competição previsível

A análise intitulada "Inequality in 700 popular films" mostra que entre 2007 e 2014, dos 100 filmes de maior bilheteria de casa ano, lançados nos EUA, apenas 30,2% tiveram personagens relevantes interpretados por mulheres. A pesquisa também revela que elas são minoria na direção de longas, com apenas 1,9% de diretoras na indústria.

Idealizado pela pesquisadora Stacy L. Smith e produzido pela Iniciativa de Mídia, Diversidade e Mudança Social da Escola Annenberg de comunicação e jornalismo da Universidade do Sul da Califórnia, o relatório traz números ainda mais impressionantes. Analisando grandes sucessos do cinema, o estudo descobriu que 73,1% do elenco dos 100 filmes mais assistidos de 2015 é branco, já com base em 700 filmes diversos, apenas 19 de seus personagens eram lésbicas, gays ou bissexuais.

A idade também é um fator a ser considerado, já que apenas 19,9% das personagens femininas tinham entre 40 e 64 anos. Dentre os 100 filmes de ficção mais rentáveis de 2014, nem um deles teve uma mulher com mais de 45 anos como protagonista. Esse tema em especial já foi motivo de "piada" durante uma esquete da humorista Amy Schumer. Intitulado "Last Fuckable Day", o vídeo conta com a presença de Julia Louis-dreyfus, Patricia Arquette e Tina Fey e discute como em Hollywood, mulheres de 40 anos são cotadas para serem mães de atores de 25, enquanto homens de 60 anos possuem pares românticos muito mais novos que eles.

Assista ao vídeo:

A mudança parece estar vindo aos poucos, com filmes como Jogos Vorazes e Mad Max: Estrada Da Fúria, com sua Imperatriz Furiosa, trazendo personagens femininas fortes e de ação para as telonas. Resta esperar que os outros fatores da lista também tenham mais representatividade.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus