Polícia de Nova York quer boicotar filmes de Tarantino

Cineasta é acusado de vangloriar o crime após participação em protesto

27/10/2015 17h39

Por Iara Vasconcelos

O sindicato da polícia de Nova York pediu boicote aos filmes de Quentin Tarantino, tudo isso porque o cineasta participou de um protesto contra a a brutalidade policial no último sábado (24).

De acordo com a Entertainmente Weekly, o grupo acusa o diretor de glorificar a violência e o crime em seus filmes.

"Não é nenhuma surpresa que alguém que ganha a vida glorificando o crime e a violência seja um odiador da polícia. Os policiais que Quentin Tarantino chama de 'assassinos' não estão vivendo em uma de suas fantasias depravadas do cinema, eles estão arriscando e, por vezes, sacrificando suas vidas para proteger as comunidades do crime real e do caos. Nova-iorquinos precisam enviar uma mensagem a este fornecedor de degeneração ", dizia o comunicado do sindicato.

O mais irônico é que se o sindicato apoia a idéia de que há oficiais honestos que trabalham para proteger a população, o protesto contra aqueles que desrespeitam os direitos humanos e fogem dessa conduta não deveria ser encarado como um problema, ainda mais depois dos casos de abordagem violenta promovida pelas forças policiais do país.

A manifestação ocorrida em Nova York e organizada pelo grupo "RiseUpOctober" focava principalmente na morte de cidadãos afro-americanos pelas forças policiares, o que evidencia o racismo enraizado na sociedade americana.

"Se estivessem se ocupando, esses policiais assassinos estariam na prisão, ou, pelo menos, sendo acusados na Justiça", disse Tarantino.

No final do ano passado, protestos tomaram as ruas de Ferguson após o assassinato do jovem negro Michael Brown pelo policial Darren Wilson.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus