Quarteto Fantástico: Problemas da produção vazam e diretor contrata advogado

Josh Trank chegou a ficar recluso dentro de uma tenda preta com seu monitor no set

13/08/2015 10h42

Por Daniel Reininger

O reboot do Quarteto Fantástico já começou mal: Foi bombardeado com críticas negativas de especialistas ao redor do mundo e o próprio diretor atacou seu filme no Twitter. Só que há muito tempo sabíamos que a produção enfrentava problemas nos bastidores, só não tínhamos detalhes. Agora, o The Hollywood Reporter apresenta novos fatos que mostram o caos que foram as filmagens e aponta acontecimentos que ajudam a explicar a má qualidade do longa.

Os problemas são profundos e isso fica muito claro com um relato de desrespeito de um ator pelo diretor. Dias antes de Josh Trank (Poder Sem Limites) se gabar no Twitter sobre ter uma "versão fantástica que nunca veremos" do filme, o cineasta teria enviado um e-mail para os membros do elenco e equipe chamando o produto final de "melhor do que 99% dos filmes de quadrinhos já lançados". Só que uma das estrelas da produção teria respondido: "Eu acho que não". Embora não possamos ter certeza de quem resolveu retrucar o comentário de Trank, parece que ele ou ela tem todo o direito de estar com raiva. E as coisas vão além.

Reveja o Twitter deletado do diretor:

Tweet de Josh Trank sobre Quarteto Fantátisco

Trank apresentava comportamento errático no set. Fontes afirmam que ele maltratava Kate Mara constantemente, por exemplo. Além disso, fontes disseram ao THR que ele exagerava ao conduzir Mara, Miles Teller, Michael B. Jordan e Jamie Bell. "Durante as tomadas, ele chegava a dizer [aos membros do elenco] quando piscar e quando respirar", diz a fonte. "Ele continuou a levá-los ao limite para tornar o desempenho o mais inexpressivo o possível".

Quando os executivos da Fox começaram a se preocupar com a direção de Trank, as fontes dizem que o cineasta passou a se isolar em uma tenda preta que ele teria construído ao redor de seu monitor no set de Louisiana e, aos poucos, se tornou cada vez mais recluso e distante.

As coisas ficaram tão ruins, segundo as fontes, que quando a Fox decidiu tirar Trank do projeto já era tarde demais e os produtores não podiam mais contar com o elenco. A solução encontrada foi refilmar o máximo possível do filme com dublês de corpo e fazer algumas tomadas com Miles Teller em um fundo verde. Nesse ponto, Trank permaneceu como um mero espectador, "neutralizado por um comitê." A fonte descreve todo o processo como caótico.

Esse comportamento errático é apontado ainda como um dos motivos da Disney ter desistido de Trank para dirigir um dos spin-offs de Star Wars.

Embora as fontes do THR concordem que Trank é um dos principais culpados dos problemas do longa, eles deixam claro que a Fox também tem sua parcela de responsabilidade. "[Quarteto Fantástico] foi mal concebido e feito pelas razões erradas, sem qualquer visão por trás da propriedade intelectual. Diga o que quiserem sobre Marvel, mas eles têm uma visão", diz uma fonte.

A situação está tão feia que Trank já teria contratado o advogado Marty Singer, a quem o New York Times chama de "cão de guarda das estrelas", para ajudá-lo a sobreviver a essa bagunça. 

Fato é: Independente dos problemas na pré-produção, algo que é mais comum do que o público chega a ficar sabendo, as coisas saíram do controle de vez quando Trank, de cabeça quente, decidiu atacar o próprio filme no Twitter. A partir daquele ponto, o destino de Quarteto Fantástico estava selado: Seria um dos filmes fracassados mais polêmicos de todos os tempos. 

Uma pena.

Leia a nossa crítica e veja o trailer:


QUARTETO FANTÁSTICO por cineclick

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus