Procuradoria de Nova York entra com ação judicial contra Harvey Weinstein

Mais de 70 mulheres acusaram Weinstein de comportamento sexual inadequado

12/02/2018 17h57

O procurador-geral do estado de Nova York, Eric Schneiderman, apresentou uma ação judicial contra o ex-produtor de Hollywood Harvey Weinstein em questões de casos de assédio e agressão sexual.

Os motivos descritos por Schneiderman envolvem "violações sérias dos direitos civis, humanos e das regras de negócios do estado".

A ação do procurador-geral afirma ainda que "executivos da empresa e da direção fracassaram repetidamente em proteger funcionários de contínuo assédio sexual, intimidação e discriminação do então presidente Harvey Weinstein", afirma a procuradoria em um comunicado.

Mais de 70 mulheres acusaram Weinstein de comportamento sexual inadequado, inclusive de estupro. Atrizes como Uma Thurman, Gwyneth Paltrow, Angelina Jolie e Rosanna Arquete.

Weinstein é investigado pela polícia de Londres, Nova York e Los Angeles. Após as acusações, ele foi demitido de seu estúdio cinematográfico, a Weinstein Company. A designer de moda Georgina Chapman, com quem foi casado por 10 anos, anunciou que decidiu se separar do produtor.

Desde outubro, centenas de mulheres acusaram importantes empresários, políticos e personalidades da indústria do entretenimento de abuso sexual como parte do movimento "MeToo", que chama atenção para casos de violência sexual nos Estados Unidos. Elas uniram ainda no movimento "Time's Up", que pretende combater o assédio na indústria cinematográfica.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus