Ridley Scott diz que não dirigiria um Star Wars por ser perigoso demais

Problema seria a disputa pelo controle da produção

28/12/2017 10h09

Por Daniel Reininger

O diretor Ridley Scott (Alien: Covenant) disse à Vulture que não dirigiria um filme da franquia Star Wars. "Não, não. Eu sou perigoso demais para isso", disse ele.

O problema seria a disputa pelo controle da produção. "Porque eu sei o que estou fazendo. Sinto que eles gostam de ter o controle e eu gosto de ter o controle. Quando você pega um cara que só dirigiu filmes de orçamento baixo e de repente dá na mão dele US$ 180 milhões de dólares. É tão estúpido. Você tem noção de quanto custam as refilmagens? Milhões! Milhões. Você pode me contratar pelo meu preço, que é pesado, mas eu gastarei menos e entregarei no prazo. É aí que a experiência importa, é simples assim. Pode te fazer entediante como uma máquina de lavar louça, mas se você tem experiência e sabe o que faz, isso é essencial. Cresça um pouco, devagar. Comece com pouco orçamento e vá crescendo aos poucos e quem sabe depois de US$ 20 milhões você pode chegar aos US$ 80 milhões. Mas não vá direto para os 160."

Não custa lembrar que Gareth Edwards, diretor de Rogue One: Uma História Star Wars, dirigiu apenas dois filmes antes de entrar para a franquia e o longa contou com diversas refilmagens. E Rian Johnson, de Star Wars: Os Últimos Jedi, também pode ser considerado inexperiente perto de Scott.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus