Rogue One: Lucasfilm fala sobre reconstrução de rostos de atores mortos

Filme ultrapassou a marca de US$ 550 milhões

28/12/2016 09h40

Por Daniel Reininger

Uma das maiores polêmicas de Rogue One: Uma História Star Wars é a recriação digital de personagens clássicos, cujos atores já faleceram. Agora, John Knoll, diretor criativo da Lucasfilm, comentou em entrevista sobre esse processo que recebeu elogios e críticas de fãs e especialistas de todo o mundo.

"É um jeito super moderno de se fazer maquiagem. Nós estamos transformando a aparência do ator para ele parecer com outro personagem, mas usando tecnologia digital", afirmou Knoll.

No filme, Grande Moff Tarkin, personagem do ator Peter Cushing, falecido há mais de 20 anos, foi recriado através de efeitos de computação gráfica. Além disso, a Princesa Leia, personagem da falecida Carrie Fisher, é recriada para parecer com sua versão jovem.

O filme ultrapassou a marca de US$ 550 milhões na bilheteria no mundo. O longa está em cartaz no Brasil. Leia a crítica.

Carrie Fisher estava escalada para o Episódio IX, mas a tecnologia vista em Rogue One pode garantir sua participação no longa. A atriz chegou a finalizar sua participação no Episódio VIII.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus