Seijun Suzuki, cultuado diretor japonês, morre aos 93 anos

Influência para Quentin Tarantino

22/02/2017 10h29

Por Daniel Reininger

O diretor japonês Seijun Suzuki, grande influência para cineastas como Quentin Tarantino e Jim Jarmusch, morreu no dia 13 de fevereiro aos 93 anos devido a uma doença pulmonar, anunciou nesta quarta-feira (22) o estúdio Nikkatsu.

Suzuki é conhecido por Tóquio Violenta (1966) e Branded to Kill (1967). "Sua obra teve uma grande influência nos cinéfilos e diretores em todo o mundo", destacou a Nikkatsu.

Começou a carreira em 1956 e dirigiu, durante 12 anos, diversos filmes para o estúdio Nikkatsu, com um estilo único que seus fãs chamavam de "Seijun bigaku" (estética de Seijun). De acordo com a editora Kinema-Junposha, Suzuki foi demitido em 1968 por ter obras consideradas como "incompreensíveis" e "o estúdio não poderia bancar longas ruins que eram compreendidos por uma audiência seleta". A briga acabou na justiça e o diretor parou de trabalhar durante uma década.

Ele voltou ao cinema em 1977 e, em 1980, foi premiado no Festival de Berlim com Tsigoineruwaizen. Seu último filme, Operetta tanuki goten, foi exibido fora de concurso em Cannes em 2005 e é uma fantasia protagonizada pela famosa atriz chinesa Zhang Ziyi.

Damien Chazelle, indicado ao Oscar 2017, elogiou o diretor recentemente durante uma visita a Tóquio para promover La La Land - Cantando As Estações. "Acredito que peguei algo de Tóquio Violenta e de todo seu tipo de filmes. É uma espécie de homenagem oculta. Parecem um musical, mas com armas", disse.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus