Spotlight: Padre brasileiro quer processar o filme

Quatro cidades brasileiras foram citadas pelo filme por casos de abuso sexual cometidos por Padres

17/02/2016 11h45

Por Iara Vasconcelos

Spotlight - Segredos Revelados trouxe à tona grandes escândalos sobre os casos de abuso sexual cometidos por membros da igreja católica e que foram acobertados pela comunidade e autoridades do Vaticano por muito tempo. Durante os créditos do longa, é possível ver uma lista com as cidades que tiveram casos de abuso registrados, dentre elas estão quatro brasileiras: Franca (SP), Arapiraca (SP), Mariana (MG) e Rio de Janeiro.

Agora, o padre de Franca José Afonso Dé, que foi condenado em primeira instância a 60 anos de prisão, ameaça processar os produtores do filme. O advogado dele, José Chiachiri Neto, está recorrendo à justiça e afirma que o réu é inocente.

"Já interpomos recurso para absolvê-lo em sua totalidade. Quando sair o resultado, vamos à Justiça contra os produtores do filme", disse Neto ao jornal Estado de São Paulo. E completa:  "Assim, em dois casos ainda é mantida sua condenação, mas aguardamos um desfecho favorável do recurso". 

Recentemente, o Vaticano promoveu uma sessão especial e fechada do filme: "É muito preocupante pois mostra que casos de abusos cometidos a igreja católica acabam sendo acobertados, acho que seria um bom momento para o Papa assisti-lo", disse Peter Sanders, ativista de um grupo anti-abuso e membro da comissão, ao L.A. Times.

Baseado em uma história real, o drama mostra um grupo de jornalistas em Boston que reúne milhares de documentos capazes de provar diversos casos de abuso de crianças, causados por padres católicos. Durante anos, líderes religiosos ocultaram o caso transferindo os padres de região, ao invés de puni-los pelo caso.

Spotlight - Segredos Revelados é um dos indicados ao Oscar 2016. A cerimônia acontece no dia 28 de fevereiro e terá Chris Rock como apresentador. Confira o nosso especial do Oscar.

 + Opinião: Falta diversidade novamente ao Oscar

Confira o trailer do filme:

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus