Tarantino fala sobre acidente de Uma Thurman: "Um dos meus maiores arrependimentos da vida"

Cineasta tenta esclarecer o que houve no set do filme

06/02/2018 10h56

Por Iara Vasconcelos

Recentemente, Uma Thurman revelou detalhes sobre o assédio que sofreu de Harvey Weinstein e também sobre um acidente que ocorreu durante as gravações de Kill Bill: Vol. 1, graças a insistência de Tarantino em não utilizar uma dublê. + Saiba mais

Agora, o cineasta resolveu se pronunciar sobre o caso ao Deadline e tentou explicar a sua decisão na ocasião: "A ideia era que ela dirigisse em torno de 30-40 por hora, apenas para mostrar o cabelo voando. Não havia obstáculos, era um caminho reto. Eu fiquei empolgado e disse a ela que conseguiria fazer já que o caminho seria reto e a sua resposta foi 'tudo bem'. Ela fez isso pois acreditava em mim. Eu disse a ela que tudo ficaria bem e que seria seguro. Infelizmente não foi. Eu não a forcei a entrar no carro, ela o fez pois confiava em mim.

Então, ficou decidido que ela entraria no carro. Eu não ouvi nada da empresa sobre o carro não estar funcionando, o que seria estranho afinal eles que eram responsáveis por oferecer veículos seguros. Se eles tivessem dito algo sobre aquilo ser perigoso para a equipe de produção isso teria sido evitado.

O momento [do acidente] foi horrível. Assistí-la sofrendo aquilo foi de quebrar o coração. É um dos maiores arrependimentos que eu tenho em minha carreira".

Tarantino ainda afirmou que sabia que a entrevista de Thurmam seria publicada e confirmou que ele mesmo a concedeu as imagens do momento do acidente.

"Uma e eu discutimos sobre isso por um bom tempo para decidir como tudo seria feito. Ela queria esclarecer a situação da batida de carro depois de tantos anos. Ela me pediu as imagens e eu tentei encontrá-las, mesmo após 15 anos. Procuramos em caixas e arquivos e o Shannon McIntosh as achou. Fiquei muito realizado em poder fazer isso por ela.

Nós tinhamos um combinado de que eu seria entrevistado pela Maureen Dowd para confirmar as afirmações da Uma. Mas isso nunca aconteceu. Depois eu li o artigo e parecia que todos os caras contataram seus advogados e não foram citados e eu acabei ficando como alvo".

O diretor também comentou as acusações de que ele teria acobertado as práticas de Weinstein, inclusive não dando importância as reclamações de Uma e de Mira Sorvino, sua namorada na época.

"A Mira me contou sobre as coisas que o Harvey fez com ela e eu fiquei incrédulo. Quando começamos a namorar ele se afastou, então eu conclui que ele tinha uma grande paixonite por ela. Ele tinha uma sexualidade inflada e quando ela me falou sobre a situação eu fiquei aterrorizado por ela e, francamente, envergonhado pelo desespero das atitudes dele.

Então quando a Uma me disse que ele tinha feito o mesmo com ela, eu imaginei que tudo era um padrão dele e o fiz se desculpar com ela. Se nós quisessemos fazer Kill Bill juntos, então isso teria que acontecer". 

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus