Transformers: "Eu não dou a mínima para os críticos", diz Michael Bay em coletiva

Diretor ainda se disse contra serviços de streaming como a Netflix

11/07/2017 17h18

Por Iara Vasconcelos

O diretor Michael Bay e a atriz Isabela Moner estão em São Paulo para promover Transformers: O Último Cavaleiro, o mais recente longa da franquia bilionária. Durante coletiva de imprensa, a dupla falou sobre o entrosamento no set, o desafios enfrentados no quarto filme, dentre outros assuntos e algumas polêmicas como a relação de Bay com a imprensa e os críticos de cinema.

Em "O Último Cavaleiro", bay se despede da direção da saga - apesar de confirmar que vai atuar na produção dos filmes seguintes - e revela que o principal desafio foi manter as coisas interessantes para o público, afinal já são cinco filmes sobre os mesmos personagens.

"Esse filme mostrará para onde iremos no futuro, por isso é o meu último. Eu gostaria de ter me aprofundado mais nos personagens, mas o intervalo de 2 a 3 anos que temos entre o lançamento de um e outro não permite isso. Entretanto, o derivado de Bumblebee virá para mudar isso".

Já para Isabela, tudo é novidade. Em seu primeiro grande papel no cinema, a desenvolta jovem de 16 anos afirma que cresceu com a franquia: "Eu acho que tinha cerca de 9 anos quando assisti os três primeiros filmes com os meus irmãos. Por isso, tenho uma conexão muito grande com a história já que fez parte da minha infância".

Entretanto, para uma primeira experiência, trabalhar com Bay no set foi bastante radical: "Para ser sincera, não imaginei que seria tão difícil. Até tampões de ouvido eu tive que usar. Lembro que já estava muito nervosa nas primeiras cenas ai o Michael me perguntou se eu sabia usar um extintor de incêndio. Foi inacreditável", disse a atriz, que talvez não fizesse ideia da fixação do cineasta por bombas e explosões.

Apesar da pouca idade, Moner se mostra uma profissional madura e que sabe o que quer, algo que acabou refletindo em sua personagem no filme: "A heroína perfeita para mim seria aquela heroína real. Nos filmes, os super-heróis são mostrados como figuras invencíveis e quase sem emoção, mas acredito que você pode ser forte e também vulnerável e lutar pelo que acredita".

Polêmicas

Michael Bay não fez cerimônia ao abordar alguns assuntos espinhosos durante a entrevista. O cineasta se mostrou bastante categórico quando perguntado sobre o crescimento de serviços de streaming como a Netflix e se ele, como um diretor de "tela grandiosas", cederia a um convite de produzir um filme da empresa:

"Eu já produzi muitos filmes menores, coisas para a TV, mas isso vai machucar muito a arte de fazer cinema. Acho triste que muitas crianças estejam comprando a ideia de ver filmes assim. A experiência compartilhada que o cinema proporciona é fora do comum. [Nunca tela de computador] você não consegue sentir a experiência completa, os sons, a explosão de cores. Eu espero que isso nunca morra". E completa: "Também há muitos hackers que vazam filmes e isso fará com que menos gente vá ao cinema. Mas ainda tenho esperanças".

Ele também deixou claro que não comandará Bad Boys 3 e que prefere se concentrar em projetos menores e diferentes do que costuma fazer. Bem-humorado, o diretor ainda brincou com a demora para lançar o terceiro filme dos detetives: "Daqui a pouco eles serão os meninos velhos e não os meninos maus".

Quando o assunto foram as críticas negativas que Transformers e seus outros filmes receberam, Bay revela que isso não é uma preocupação: "A mídia fala muitas coisas de mim. Dizem que eu sou um péssimo diretor. Mas vocês acham que eu ligo? Eles podem gostar ou odiar, eu não leio nada disso. Para mim, o que importa é que as pessoas gostem do que faço. Eu ajudei a definir a linguagem dos blockbusters de Hollywood. Meu trabalho é entreter".

Transformers: O Último Cavaleiro chega aos cinemas em 20 de julho. Assista ao trailer:

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus