Única sobrevivente do filme Limite morre sem receber homenagens

21/10/2000 14h04

A atriz Olga Breno morreu semana passada, aos 89 anos, no Rio de Janeiro. Quase desconhecida, ela contou recentemente que sua maior alegria foi ter participado do vanguardista Limite, de Mário Peixoto.

Depois de Limite, em 1930, quando tinha 18 anos, a atriz teve apenas mais dois momentos que considerou importantes durante sua vida- o reencontro com Mário Peixoto, em 1988, na inauguração do Centro Cultural de Magaratiba, onde o filme havia sido rodado. E a outra alegria ocorreu na Casa de Cultura Laura Alvim, no Rio, em 1966, durante um ciclo de palestras sobre o filme onde Olga, pela primeira vez, entendeu o sentido de sua personagem no longa mais discutido durante a época da avant-garde.

Limite só poderá ser revisto em vídeo vendido apenas pela Funarte a R$ 20,00. Como o filme corre em 16 quadros, e não em 24, requer cuidados especiais, portanto a Funarte não tem previsão para uma próxima projeção. A última exibição foi em 1980, no teatro Municipal.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus