Guerra Infinita: Chris Pratt apresenta 20 minutos de Vingadores e faz revelação

Ator ainda elogiou elenco e foi chamado de "boy magia" pelo público

05/04/2018 13h00

Por Daniel Reininger

Chris Pratt está no Brasil para divulgar Vingadores: Guerra Infinita e fez a festa de cerca de 800 pessoas, entre fãs e jornalistas, com muito carisma e frases em português no evento da Marvel, realizado no Auditório do Ibirapuera, em São Paulo, na noite de quarta-feira.

Entre gritos de "boy magia" e "homão da porra", o intérprete de Peter Quill, o Senhor das Estrelas e líder dos Guardiões, falou sobre a reunião dos heróis do estúdio e apresentou vinte minutos do novo filme para os presentes, que assistiram ao trecho entre muitos gritos e comoção.

Chris Pratt fala de Vingadores

Antes de introduzir o material inédito, o ator contou como gostou de ver os planos da Marvel tomarem forma. "Quando lançamos nosso primeiro filme, ouvia perguntas sobre como os Guardiões um dia se conectariam com os Vingadores. Agora sei que esse era o plano o tempo todo. Me sinto abençoado em fazer parte disso", comemora.

O ator ainda falou sobre Peter se unir a ícones como Homem de Ferro e Homem-Aranha. "Antes dos Guardiões, as pessoas não sabiam quem era Peter Quill. A melhor parte é que não havia tantas expectativas. A responsabilidade do Tom Holland, por exemplo, foi muito maior porque já existiram muitos Homem-Aranha. Agora, quando chegamos em Vingadores, as pessoas ao redor do mundo já conhecem bem os guardiões", afirma.

Pratt garante que os heróis manterão suas individualidades, apesar da grande quantidade de personagens: "Eu humildemente diria que Guardiões trouxe algo novo para o universo Marvel. Acho que esse frescor estará também em Vingadores. Nós levamos esse tom e é importante não homogeneizar os personagens, nós (guardiões) somos diferentes (dos Vingadores)", diz.

Chris Pratt provando feijoada

Chris Pratt prova feijoada em São Paulo

O simpático ator ainda elogiou os colegas de elenco, especialmente Chris Hemsworth (Thor) e Tom Holland (Homem-Aranha). "Tom teve que lidar com a pressão de entrar em um personagem muito popular e ele conseguiu. E Chris é um cara que poderia ser um idiota, afinal, ele é alto, musculoso, bonitão, tem aquele cabelo lindo, mas ele é ótimo, fácil de trabalhar. Deixou todo mundo feliz e confortável", comenta.

E os elogios continuaram. "Mark Ruffalo (Hulk) é um ser humano maravilhoso, sempre quis conhecer. Me dei muito bem com a galera do elenco de Pantera Negra. Gwyneth Paltrow...eu trabalhei com ela! Enfim, gostei de todos", conta.

Ele ainda relembrou a primeira cena de seu personagem no universo Marvel, escolhida pelo público como a melhor de Peter Quill. "Filmar aquela cena de Guardiões foi muito divertido. A música estava tocando alto no set, gravamos em um ou dois dias e, no final, eu não conseguia tirá-la da cabeça. Quando assisti, só conseguia pensar que eu parecia um tonto dançando sozinho. Pensei: 'Estraguei o filme'. Só me acalmei quando comecei a ver a reação positivas das pessoas. Às vezes, a gente não tem muita noção se está fazendo as coisas bem", revela.

Sobre o ego dos personagens, Pratt explica que é algo a ser explorado pelo bem da comédia. "Personagens como Homem Aranha, Doutor Estranho ou Peter Quill têm egos gigantes... não os atores (risos). Sério, todo mundo é muito amigável e humilde. Então não havia nada que uniria esses personagens que não fosse um grande inimigo em comum. Thanos é isso. E não nada que eu ache mais engraçado do que o encontro de duas pessoas com egos enormes".

Pratt ainda comentou o fato de apenas 9 mulheres fazerem parte do longa e admite que atrizes enfrentam dificuldades maiores para conseguir espaço. "Os filmes que fazemos são baseados em quadrinhos, feitos e lidos por homens a partir dos anos 1950, talvez antes. Isso está mudando e é incrível. O sucesso de heroínas como Mulher Maravilha mostra o desejo de fazer mais. E vamos ter o filme da Capitã Marvel. As pessoas querem, ainda vamos ter muitas mulheres empoderadas, mas é claro que continua sendo mais difícil para as atrizes, porque existem menos papéis realmente bons para elas. Não sou nem o cara que deveria estar falando sobre isso, mas realmente quero ver mais mudanças", comenta.

Os 20 minutos que vimos

A Marvel exibiu duas cenas do filme que estreia em 26 de abril. Nós assistimos, amamos e não podemos contar nada a pedido da Disney. Entretanto, podemos dizer que Vingadores: Guerra Infinita ta parece que vai mesmo funcionar, apesar da quantidade absurda de personagens. Obviamente o longa é ambicioso, as cenas de ação estão incríveis e fica claro que o longa pretende respeitar os personagens como foram desenvolvidos nas telonas.

Veja o trailer:

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus