Zoom: Coprodução entre Brasil e Canadá inova no estilo e foi assistida até por David Bowie

Filme entrelaça três histórias distintas

21/03/2016 18h13

Por Iara Vasconcelos

Zoom é uma coprodução entre Brasil e Canadá, comandada pelo novato diretor Pedro Morelli, que pode representar uma nova tendência para o mercado brasileiro de cinema. Com três tramas paralelas, mas que se relacionam de alguma forma, o filme mistura live-action com animação, que na verdade simula o traço de uma história em quadrinhos.

Com visual assumidamente inspirado em Waking Life, do cineasta Richard Linklater, o filme acompanha Emma (Alison Pill), funcionária de uma fábrica de bonecas sensuais que sonha em ter seios maiores, iguais aos que vê em suas criações. Frustrada por não alcançar o ideal de beleza, ela despeja todas as frustrações em seus desenhos, que por sua vez contam a história do diretor de cinema em crise Edward (Gael García Bernal), que enfrenta problemas até em seus momentos mais íntimos. Por outro lado, temos a modelo brasileira Michelle (Mariana Ximenes), que está cansada de ser apenas mais um rostinho bonito e quer provar ao seu marido e empresário Dale (Jason Pristley) (e ao mundo) que tem outros talentos.

Durante entrevista à imprensa, os atores Mariana Ximenes, Claudia Ohana e Jason Priestley, além de Morelli e o produtores, falaram sobre os desafios de trabalhar com equipes de dois países diferentes e da expectativa em torno da recepção do filme pelo público brasileiro e internacional.

A parceria entre a produtora O2 Filmes e a canadense Rhombu já é de longa data, já que as empresas se uniram em 2008 na adaptação de Ensaio Sobre A Cegueira. Foi ai que Morelli conheceu Niv Fichman e foi convidado para dirigir seu segundo longa-metragem - o primeiro foi o premiado "Entre Nós", que ele codirigiu com seu pai Paulo Morelli.

"Ele queria um diretor mais jovem e antenado, até porque o filme tem essa linguagem. Eu já conhecia ele do set de 'Cegueira', fui praticamente um estagiário lá", revelou o cineasta de 28 anos. "Foram mais de 20 mil frames. O próximo filme provavelmente vai ter apenas dois atores conversando em uma sala", brincou ao falar do trabalho minucioso de Zoom, que foi comparado estilo de Charlie Kaufman.

Zoom

O mexicano Gael García Bernal não veio ao Brasil para divulgar o filme, mas seu nome foi presença garantida durante o bate-papo. Elogiado pelos colegas de elenco, Bernal foi escolhido para viver o diretor "em desenho", mas se engana quem pensa que sua participação foi mais fácil que a dos demais atores.

"Procurávamos um ator que tivesse características distintas e traços fáceis de serem reconhecidos. Bernal trabalhou em um estúdio todo cinza, sem nenhuma decoração ou objeto, apenas demarcações feitas com fita isolante. Na cena do mar, nós tinhamos apenas uma faixa de areia no estúdio, ai eu disse 'agora você caminha até o mar', e ele me respondeu 'Mas o mar fica para que lado?'", disse Morelli ao risos.

Outro ator internacional que foi sensação é o canadense Jason Priestley, o inesquecível Brandon Walsh da série Barrados no Baile. Priestley não lembra mais o galã adolescente, mas continua exalando charme. Ele falou da experiência em gravar em Trindade, no Rio de Janeiro, e conta que tomou muitas caipirinhas durante sua estadia aqui.

"Aproveitei muito. Trindade é uma cidade autêntica e eu tive uma experiência bem brasileira por lá. Já São Paulo é viva e vibrante, completamente diferente". O ator ainda elogiou o enredo e a condução de Morelli:  "É divertido, tem muitas piadas, mas também é inteligente. Questiona a forma como vemos as mulheres na sociedade e o conceito de beleza como um todo. Para mim foi gratificante ver que Morelli conseguiu traduzir todos os sentimentos que o roteiro me despertou quando o li pela primeira vez", disse Priestley, que nos últimos anos tem preferido se dedicar a dirigir filmes e séries.

Jason Priestley e Mariana Ximenes

Já para Mariana Ximenes, seu par romântico na trama, o maior obstáculo foi atuar em inglês: "É diferente de tudo, porque você precisa raciocinar em outra língua. Me preparei bastante, fui sozinha ao Canadá e fiquei lá por um tempo, visitei os locais prediletos da minha personalidade, como o Aquário, e procurei me habituar. O Jason também me apoiou muito. Tive bons alicerces para criar minha Michelle".

No filme, ela protagoniza uma cena picante ao lado de Cláudia Ohana, mas o que para ela foi "fichinha", para a veterana da televisão foi uma experiência nova: "Foi engraçado. Era minha primeira cena sensual com uma mulher, eu estava muito nervosa e em dúvida sobre o que fazer. Perguntava a Mariana 'posso pegar aqui?', mas ela é uma companheira de trabalho maravilhosa e me ajudou a ficar confortável".

Para a produtora Andrea Barata Ribeiro, o maior desafio é levar o público aos cinemas: "O cinema brasileiro ainda enfrenta muitas dificuldades. Alguns filmes grandes de comédia conseguem uma boa bilheteria, mas a maioria acaba esmagada por filmes maiores".

A metalinguagem e a mistura de gêneros é a grande estrela de Zoom, mas o filme também toca em um assunto bastante popular nos dias de hoje: Os padrões irreais de beleza.

"As pessoas acabam perdendo sua própria identidade enquanto tentam alcançar um padrão de beleza. O fato de que os personagens conseguem controlar uns aos outros também corresponde a essa mentalidade de marionetes", diz Morelli. "Quis deixar bem claro que as histórias são distintas uma das outras, por isso no núcleo da Emma usamos uma câmera mais "indie", já a parte da Michelle usa uma câmera mais diagonal, com efeitos, porque é obra de um diretor mais experimental".

Para encerrar, ele revelou uma história bastante curiosa de bastidores: "Nós queríamos usar uma música do David Bowie [Oh Pretty Things], mas a gravadora pedia muito dinheiro e nós já estávamos no fim da produção. Então, alguém enviou o filme para ele e ele adorou e deixou a gente usar a música. Saber que Bowie assistiu o longa antes de morrer é inacreditável".

Zoom tem estreia marcada para 31 de março no Brasil. Já no Canadá, o filme chega apenas no verão e em circuito limitado.

Veja o trailer:

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus